Basílica de Santa Maria de Guadalupe na Cidade do México

Esse conteúdo faz parte do Guia da Cidade do México.
Clique aqui para ver todo o conteúdo.

Destino visitado e verificado
por nossa equipe

Em alguns lugares do mundo a fé fala mais alto. Na Basílica de Santa Maria de Guadalupe não é diferente. Este é o segundo templo católico em visitantes no mundo, ficando atrás apenas da Basílica de São Pedro no Vaticano. São mais de 20 milhões de fiéis por ano.

O México é o segundo país com mais católicos no mundo e a religião se mistura como em todo país colonizado e que recebeu imigrantes de outras crenças. Vamos contar um pouco sobre a história da basílica e passar informações importantes sobre como visitá-la.

Nossa Senhora de Guadalupe

Em alguns lugares do mundo, acredita-se em manifestações marianas onde Nossa Senhora envia mensagens através de escolhidos e aparece para trazer mensagens de fé: Aparecida, Fátima, Lourdes são algumas delas.

Conta a tradição que em um sábado de 1531, Nossa Senhora apareceu para um indígena que havia se convertido ao catolicismo e lhe pediu a construção de um templo mariano em sua honra. Essa é uma história que contamos aqui com detalhes.

Bandeira mexicana sobre La Virgen de Guadalupe dentro da Basílica de Guadalupe na Cidade do México.

A história da Basílica de Santa Maria de Guadalupe

O local é muito importante para os católicos por motivos que antecedem sua construção. Acredita-se que Nossa Senhora de Guadalupe apareceu para o índio Quauhtlatoatzin enquanto estava a caminho de uma igreja situada em Tlatelolco (Cidade do México) e lhe indicou o desejo da criação de um templo mariano na colina de Tepeyac.

O índio que já havia sido catequizado e batizado com o nome de Juan Diego, segue as orientações da Virgem de Guadalupe e busca o bispo Zumárraga que não dá créditos à aparição.

Sentindo que não havia cumprido sua promessa, Juan Diego volta ao monte para encontrar a Virgem que solicita que retorne no dia seguinte para nova tentativa. Dessa vez o bispo pede uma prova para Quauhtlatoatzin, retornando à virgem que lhe promete uma prova.

Juan Diego e Nossa Senhora de Guadalupe

Quando retorna a noite para casa, encontra seu tio doente e que lhe pede para encontrar um padre que lhe desse uma bênção. Diego se põe a caminho de Tlatelolco de madrugada afim de realizar o desejo do tio e posteriormente buscar a Virgem e a prova da visão. Essa o encontra no caminho e, sabendo do mal que afligia o Sr. Juan Bernadino o cura, pedindo ao indígena que focasse na prova que estava passando.

Juan Diego sobe o monte no inverno, era dezembro, e tudo estava coberto de neve e as plantas estavam congeladas. Por milagre enxerga no topo rosas de diversas formas e perfume, as quais coleta e acondiciona em seu tilma, uma veste asteca feita de cactus que o protegia do frio.

O índio se dirige ao palácio do bispo e, ao mostrar-lhe as flores raras vêem, no manto que carregava as flores, a imagem de Nossa Senhora Maria de Guadalupe marcada nele.

Manto de Nossa Senhora de Guadalupe

Assim, deu início a construção do primeiro templo em 1533 na região onde mais tarde se construiriria a atual Basílica de Santa Maria de Guadalupe.

Primeiro templo

Para cumprir a promessa à Virgem, é construído um templo que passa a abrigar o tilma e a imagem da Nossa Senhora de Guadalupe. Juan Diego se muda para o local com seu tio a fim de seguir com a adoração à Virgem Mãe.

Juan Diego morre anos mais tarde, em 1548 aos 74 anos. No ano seguinte inicia-se a construção da igreja que hoje é conhecida como a antiga Paróquia de Índios e que pode ser visitada no complexo da Basílica de Santa Maria de Guadalupe.

Paróquia de Índios

Antiga Paróquia de Índios

Devido ao crescente movimento de fieis que queriam conhecer a Virgem de Guadalupe, o primeiro templo teve que ser remodelado e ampliado. Isso foi feito por cima do templo original e ainda é possível ver partes dessa estrutura na sacristia.

Por mais de 160 anos o tilma com a imagem fica exposto no local sem nenhuma proteção, um ponto de congregação de católicos e astecas recém convertidos com a expansão católica no México.

Antiga Basílica de Santa Maria de Guadalupe e Templo Expiatório a Cristo Rey

A Basílica de Santa Maria de Guadalupe começou a ser construída em 1695 e foi terminada 14 anos depois. Desde sua construção faz parte da vida religiosa e cotidiano das pessoas na Cidade do México.

O prédio tem projeto do arquiteto Pedro de Arrieta, um arquiteto que muito trabalhou no barroco mexicano. Esse edifício tem 15 abóbadas, uma imensa cúpula e grande parte de sua estrutura em mármore. No século XIX sofreu modificações que removeram seu estilo barroco, atualizando-o para neoclássico, acrescentando-lhe vitrais e novas pinturas, além de um novo altar.

Templo Expiatório de Cristo Rey - Antiga basílica de nossa senhora de Guadalupe

Outras alterações foram acontecendo no templo que ganhou um altar de mármore carrara branco, desenhado por Juan Agea Salomé Pina e esculpido por Carlo Nicoli.

Em 1921, uma bomba destruiu quase toda a igreja, mas nenhum dano sofreu a imagem da Virgem. Com a explosão, foi identificada o afundamento do templo que, como toda a Cidade do México, foi construída em cima de um lago aterrado e sofre de instabilidade.

Uma nova Basílica de Santa Maria de Guadalupe foi erguida na década de 70 e a imagem foi transferida para lá. Restou à antiga fechar suas portas para um restauro que demorou 24 anos. Somente em 2000 o templo foi reaberto sob o nome de Templo Expiatório a Cristo Rey. Uma linda relíquia para ser visitada na Cidade do México.

Nova Basílica de Santa Maria de Guadalupe

A nova Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe foi construída em 1974, bem próxima a antiga e compõe um complexo, composto por igrejas, lojas, restaurantes, banheiros que formam uma estrutura completa e bem ampla, para atender a alta demanda de visitantes, durante todo o ano.

Basílica Nova de Nossa Senhora de Guadalupe - México

Essa nova Basílica foi construída com uma pegada mais moderna pelo arquiteto Pedro Ramirez Vásquez. Em forma circular, seu teto representa o manto de Maria protegendo os peregrinos e em seu interior e garantindo visão a todos os presentes.

A Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe tem capacidade para acomodar até 10 mil pessoas simultaneamente. É lá que está guardado o manto com a imagem da Virgem

Um fato aumenta mais a crença dos católicos: a tilma onde a virgem apareceu, uma capa utilizada pelos nativos e que era feita de cacto agave maguey,  é bem frágil e normalmente duraria poucos anos. Já se passaram mais de 500 anos e o tecido continua intacto. Vários estudos foram e são feitos na peça que é única. Um verdadeiro milagre!

O formato circular da igreja permite que a imagem da Padroeira da América Latina seja vista de todos os ângulos. No entanto, se quiser chegar um pouco mais perto, existe uma espécie de ponte rolante e você pode passar nos pés da imagem.

Hoje o local onde fica as duas Basílicas é um complexo, composto por várias igrejas, monumentos e lindos jardins. Facilmente dá pra passar um dia todo por lá. Mas prepare o fôlego: o lugar é repleto de escadarias.

O que visitar

  • Capela do Santísimo (interior da Basílica)
  • Capela de San José (interior da Basílica)
  • Cripta Guadalupana (interior da Basílica)
  • Capela del Cerrito
  • Templo Expiatorio a Cristo Rey (Antiga Basílica)
  • Paróquia de Santa María de Guadalupe “Capuchinas”
  • Capela do Pocito
  • Paróquia de Índios
  • Batistério
  • Capela de Juramentos
  • Capela de Bendiciones
  • Santuário de San Juan Diego
  • Carrillón (Campanário e relógio da Basílica)
  • Museo de la Basílica de Guadalupe

Precisa de ajuda?
Me chama!

As vezes pode demorar um pouquinho para responder. Se eu souber responder, será um prazer ajudar.

Compartilhe ou salve para ver depois

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Imprimir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nesse post
falaremos sobre

Relacionado a
esse assunto

Booking.com

Outros assuntos,
para você se perder

Categorias

Um viajante está visitando agora:

Nossos parceiros de aventura

Segue a gente aí

Dá uma olhada
nesse conteúdo: